Pular para o conteúdo principal

O que você tem refletido?


Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; (Efésios 5.1)
Confesso que quando recebi este tema para esta breve reflexão, fiquei a me questionar sobre o que o “refletido” queria abordar. Reflexão em nossa língua é um exemplo claro de polissemia, que nada mais é do que os vários significados atribuídos a uma palavra (Ex: Manga de camisa e fruta, etc.). Fiquei a pensar sobre qual reflexão queria-se abordar. Se a reflexão de uma imagem num espelho, a reflexão como produto de um pensamento ou a reflexão de uma luz em uma superfície difusa. Por via das dúvidas, resolvi abordar estes três aspectos da reflexão, pois tem tudo a ver com o “imitar a Cristo”.
Paulo, o Apóstolo, escrevendo aos efésios, exorta-os a serem imitadores de Deus. E isto, escreve, se encaixa no sentido do exemplo de amor que o Senhor teve em demonstrar misericórdia e compaixão para com a humanidade radicalmente pecadora, que enquanto ainda inimiga d’Ele foi alvo do Seu amor perdoador e reconciliador (Rm 5.8). Este foi o amor de Deus em Cristo. Capaz de perdoar seus ofensores e agraciar com a vida eterna pecadores degenerados. Este amor desmedido, altruísta e doador (ágape) deve ser imitado por todos aqueles que se chamam “Seus filhos”. E este fato incide em total assimilação com o de sermos filhos, pois o filho obedece e segue os passos do Pai. Quantas manias e trejeitos temos, que percebemos ser herdados dos nossos pais? Ou mesmo uma criança que faz tudo quanto vê o pai fazendo. Isto é fruto de filiação, conhecimento, intimidade e imitação daquele a quem amamos como Pai.
Assim sendo, meditaremos em três perguntas: O que você tem refletido? O que você tem refletido? E por último, porém não menos importante: O que você tem refletido?
    
1.        O que você tem refletido?
Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; (Tiago 1.23)
O texto de Tiago vai mostrar a maior dificuldade a qual mais temos visto em nossos dias no evangelicalismo moderno. Cristãos contemplam a si mesmos. A imagem que é refletida nos espelhos das almas dos homens é a própria e não a de Jesus Cristo. É uma imagem daquilo que são: homens naturais, não regenerados.
Como tem se multiplicado o número daqueles que se afirmam cristãos, mas que não conhecem e nem mesmo são conhecidos por Cristo! Estes “joios” passam anos; casam-se, morrem dentro das nossas igrejas sem ter um encontro verdadeiro com o Senhor Jesus, que transformasse as suas naturezas a ponto de reconhecerem a podridão de seus pecados e renderem-se ao Senhor como única fonte de salvação. Estes perdidos, quando contemplam-se no espelho só veem a si mesmos porque estão sozinhos em seu orgulho, vivendo rituais, regras e uma religiosidade totalmente aparente, longe do Salvador. Você é assim? O que você tem visto no espelho? Como pode ser um imitador de Deus se nem sabe quem Ele é?

2.       O que você tem refletido?
Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. (Salmo 1.2)
Somos movidos por crenças. Você está aí, sentado confortavelmente tranquilo na frente do seu PC ou com seu smartphone ou tablet na mão porque entende ser este um lugar seguro. Porém, se sua mente compreendesse que este lugar está em chamas, com certeza você não estaria assim! Aqui percebemos a força das nossas convicções. Elas motivam as nossas ações e comportamento.
No que você crê? O que tem te motivado? São tantos hoje em dia aqueles que tem sido levados por ventos de doutrina, indo na onda de cantores gospel alienados, ou mesmo por ensinamentos satânicos de prosperidade financeira, liberalismo teológico ou mesmo caindo nos desvios de ateísmo, comunismo, ecumenismo?
Temos uma geração fraca e alienada como se vê porque lhe falta reflexão bíblica, e isto incide no ruminar da Palavra, na profunda e constante meditação da Escritura, para que ela seja a bússola norteadora das nossas mentes e consequentes ações. Como ser imitador se não se sabe nem no que imitar?

O que você tem refletido?
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. (Mateus 5.16)
Esta última análise tem toda uma conexão com identificação. Quanto mais estamos próximos a Luz, mais forte nossa reflexão. É como a lua que vemos em dias de cheia ou “superlua”, que uma vez, longe de obstáculos, pode brilhar refletindo a luz do sol por completo, iluminando sobremaneira a terra. Assim somos nós cristãos. Quanto mais livres de obstáculos que trazem sombras e trevas, mais forte refletiremos a luz de Jesus Cristo. E quanto mais próximos a Ele, mais plena a reflexão da nossa luz será.
Já passa da hora de deixarmos de ser uma geração que pula, determina, profetiza... Para sermos uma geração que desesperadamente anseia pelo Seu Senhor e busca-O ardentemente em oração numa relação íntima e sincera. Para que assim, junto d’Ele, a Sua gloriosa luz reflita em nós para que iluminemos os que nos rodeiam a fim de que “A luz que envergonha o próprio sol”, dissipe as trevas do mundo. Para imitarmos, precisamos estar próximos, pois imitamos a quem amamos.


O que você tem refletido? Qual o produto da imagem que é refletida no espelho da sua alma? A de Cristo ou a sua? O que norteia a sua mente e consequentes ações? A Palavra ou o mundo? Seu coração e consequentemente sua vida, ainda estão em trevas ou você tem conseguido refletir a Luz de Deus? Tais reflexões são deveras pertinentes para a compreensão de sua situação e papel de ação como imitador de Jesus nesta sociedade tão deturpada pela influência do mal. Que em Cristo, o fruto desta reflexão gere frutos de arrependimento, justiça e vida eterna em seu coração!

Luan Almeida
(Esboço da mensagem pregada para os jovens da Primeira Igreja Batista de Itabuna, em  09/08/2014)

Mais acessados

Entrevista com Pr. Wilson Porte Jr. [VÍDEO]

Nesta entrevista com o Wilson Porte Jr., realizada no 2º Fórum de Cosmovisão Cristã Sul-Baiano, o pastor fala sobre sexualidade cristã, homossexualismo, ideologia de gênero, a "eisegese gay", que reinterpreta textos bíblicos para torna-los favoráveis à sua agenda e como a igreja deve relacionar-se e tratar aqueles que se encontram tentados por pecados de ordem sexual. Wilson Porte Jr é escritor, professor de teologia e ministro de confissão religiosa servindo há 10 anos a Igreja Batista Liberdade, em Araraquara-SP.

Acesse a página do Pr. Wilson Porte:http://wilsonporte.org/



DEUS PRESERVARÁ OS MEUS INIMIGOS PARA QUE VEJAM A MINHA VITÓRIA! (?)

Bem... Não é o que diz a Bíblia! Está "na moda" seja em músicas tidas como gospel ou naquelas cantadas por grandes pensadoras contemporâneas, a afirmação de que Deus conservará a vida dos nossos inimigos para que eles vejam a nossa vitória, como se esse fosse o único objetivo da criação e preservação daquela vida.




Porém, nas Escrituras, é claramente perceptível a razão pela qual Deus cria o indivíduo. E eu sinto (sic) em dizer que não é para ser um contemplador de conquistas egoísticas alheias ou para ser um invejoso de triunfos outros. A razão é a glória do próprio Deus, como está em Isaías 43.6-7. Ademais, vemos impresso na revelação que esta é, na verdade, a razão de TODAS as coisas. Ele é tão preciosista com Sua glória que até mesmo suas promessas são feitas por amor do Seu Nome, como registra Isaías 48.9-11.

Por este motivo, Deus cria, sustenta, preserva, destrói, salva... Tudo. Absolutamente tudo para o louvor da sua gloriosa vontade soberana: (Efésios 1.4-6; Jeremias 1…

Retalhos recomenda: Projeto Sola

Retalhos Teológicos recomenda: Projeto Sola.
O Projeto Sola é um "folk-duo" formado por Guilherme Andrade e Guilherme Iamarino, de Minas e São Paulo respectivamente. As canções são baseadas na fé reformada e têm como pilares as Cinco Solas da Reforma Protestante. Tudo começou quando os dois se conheceram, em 2013. Os dois tinham bandas separadas, mas se conheceram quando foram tocar em um evento. “A gente começou a conversar via internet e o Gui se manifestou propondo que a gente fizesse alguma música juntos, compuséssemos alguma música juntos ou fizéssemos alguma coisas que desse para a gente tocar ao vivo”, diz o Guilherme Andrade (Confira o vídeo abaixo).

Depois nós entramos na mesma faculdade e começamos a nos ver ver periodicamente, em 2014. ele me mostrou ‘Redenção’, uma das músicas do EP e eu gostei da canção. Tinha algumas músicas também nessa pegada e decidimos gravá-las”, conta.
A banda tem forte influência de sons como I Am They e Mumford and Sons, principalmente…

Retalhos no YouTube