Pular para o conteúdo principal

DEUS PRESERVARÁ OS MEUS INIMIGOS PARA QUE VEJAM A MINHA VITÓRIA! (?)


Bem... Não é o que diz a Bíblia!
Está "na moda" seja em músicas tidas como gospel ou naquelas cantadas por grandes pensadoras contemporâneas, a afirmação de que Deus conservará a vida dos nossos inimigos para que eles vejam a nossa vitória, como se esse fosse o único objetivo da criação e preservação daquela vida.





Porém, nas Escrituras, é claramente perceptível a razão pela qual Deus cria o indivíduo. E eu sinto (sic) em dizer que não é para ser um contemplador de conquistas egoísticas alheias ou para ser um invejoso de triunfos outros. A razão é a glória do próprio Deus, como está em Isaías 43.6-7. Ademais, vemos impresso na revelação que esta é, na verdade, a razão de TODAS as coisas. Ele é tão preciosista com Sua glória que até mesmo suas promessas são feitas por amor do Seu Nome, como registra Isaías 48.9-11.

Por este motivo, Deus cria, sustenta, preserva, destrói, salva... Tudo. Absolutamente tudo para o louvor da sua gloriosa vontade soberana: (Efésios 1.4-6; Jeremias 13.11; Salmo 106.7-8; Romanos 9.17; Êxodo 14.4,18; Ezequiel 20.14; 2 Samuel 7.23; 1 Samuel 12.20,22; Ezequiel 36.22-23; Mateus 5.16; João 5.44; João 14.14; João 12.27-28; João 17.1; Isaías 43.25; Salmo 25.11; Romanos 15.17; João 16.14; 1 Coríntios 10.31; 1 Pedro 4.11; Filipenses 1.9,11; Romanos 1.22,23; Romanos 3.23; Atos 12.23; 2 Tessalonicenses 1.9-10; João 17.24; Romanos 9.22,23; Habacuque 2.14; Romanos 11.36 e tantas outras!). Nós somos reles ferramentas de tão justo propósito, e não o objeto principal das coisas.

Aqueles que compactuam com a ideia defendida por este movimento no mínimo pretensioso são pessoas levadas por sentimentos de recalque (haha!), além de inveja, ódio, e são classificadas pela Bíblia como homicidas (I João 3.15). Este é, sobretudo, um pensamento que se opõe ao que é ensinado na Palavra acerca do que é ser um discípulo, como bem exorta Jesus Cristo no Sermão do Monte (Lucas 6.27-29).

Com o supra exposto, podemos concluir que:

1. Se Deus conserva alguém em vida, isso é exclusivamente fruto da sua misericórdia e provisão para o cumprimento do Seu propósito que glorificará somente a Ele;

2. Um verdadeiro cristão não deseja o mal alheio, ainda que isso traga benefícios, humanamente falando;

3. Somente o correto estudo da Escritura pode livrar o crente de pensamentos tão vis e aproximá-lo dos ensinos de Cristo, que diz para amarmos nossos inimigos e perseguidores.

Por fim, é óbvio concluir que: NÃO! Deus não preserva seus inimigos para verem a sua vitória! Até porque, a vitória do cristão genuíno não está nas riquezas e destaques deste mundo, mas na cruz de Cristo, que o redimiu para a glória de Deus!

Que a Palavra destrua seus conceitos humanos e que, por graça, forme a mente de Cristo em você!

Soli DEO Gloria!

Mais acessados

O que você tem refletido?

Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;(Efésios 5.1) Confesso que quando recebi este tema para esta breve reflexão, fiquei a me questionar sobre o que o “refletido” queria abordar. Reflexão em nossa língua é um exemplo claro de polissemia, que nada mais é do que os vários significados atribuídos a uma palavra (Ex: Manga de camisa e fruta, etc.). Fiquei a pensar sobre qual reflexão queria-se abordar. Se a reflexão de uma imagem num espelho, a reflexão como produto de um pensamento ou a reflexão de uma luz em uma superfície difusa. Por via das dúvidas, resolvi abordar estes três aspectos da reflexão, pois tem tudo a ver com o “imitar a Cristo”. Paulo, o Apóstolo, escrevendo aos efésios, exorta-os a serem imitadores de Deus. E isto, escreve, se encaixa no sentido do exemplo de amor que o Senhor teve em demonstrar misericórdia e compaixão para com a humanidade radicalmente pecadora, que enquanto ainda inimiga d’Ele foi alvo do Seu amor perdoador e reconciliador (Rm 5.8). Este …

Bem-Aventurados os que tem fome e sede de justiça - Sermão do Monte [7]

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque eles serão fartos."
Mateus 5:6 CLIQUE AQUI E CONFIRA A EXPOSIÇÃO ANTERIOR
Esta Bem-Aventurança obviamente é resposta das outras Bem-Aventuranças, como um efeito natural daquelas. Já fomos ensinados na Palavra que devemos ser humildes de espírito, chorar pelos nossos pecados, e ser mansos. Até então, éramos impelidos a olhar para nós e examinarmos nossa completa penúria espiritual, nosso total desamparo e impotência, nossa verdadeira bancarrota espiritual. Nesta Bem-Aventurança, no entanto, somos levados a uma busca pela solução desses problemas, a fim de sermos libertos do “eu” – o que deve ser um anseio de todo crente. Esta Bem-Aventurança nos leva a meditarmos na exclusiva graça de Deus, no fato de ter Ele nos salvado inteiramente por Seu amoroso favor. Para melhor compreendermos, devemos observar cada parte desta declaração do Senhor Jesus, a começar pelo vocábulo “justiça”. A Bíblia nos diz que bem-aventurados, ou fel…

Sermão do Monte: As Bem-Aventuranças [3]

"Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados; Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós."
Mateus 5:3-12 CLIQUE AQUI E CONFIRA A EXPOSIÇÃO ANTERIOR

Chegamos em nossa série nas Bem-Aventuranças. Nesta parte do Sermão do Monte, o Senhor Jesus começa a descrever o …